Fimose: o que é, como tratar

4.7 (94.64%) 97 votes

Fimose: o que é, como tratar

Embora seja um problema mais comum entre os homens, na verdade, a fimose é um problema que pode atingir ambos os sexos. No caso masculino, a fimose é quando se torna impossível se expor a glande, parte terminal do pênis, pois a pele que a recobre não tem abertura suficiente. Já, no caso feminino, ela acontece quando ocorre a aderência entre os pequenos lábios da vagina, que tapam completamente a abertura vaginal

Então, mas, geralmente, fimose está mais associada a um problema masculino, mesmo, com a incapacidade de retrair a pele do pênis para expor a glande, criando a sensação de que existe um anel na ponta do pênis, impedindo que a pele deslize normalmente.

Vale saber que a fimose é um problema super comum, geralmente, os bebês nascem com o problema, porém, até os 3 anos de idade a pele do pênis costuma se soltar espontaneamente, passando a funcionar de maneira normal.

Como já foi dito, essa é uma condição mais comum entre os bebês meninos, que tende a desaparecer, geralmente, até 1 ano de idade, em menor proporção até os 3 anos, ou somente na puberdade, sem a necessidade de tratamento específico. Mas, se a pele não ceder o suficiente com o passar do tempo, então, nesse caso, pode ser preciso usar uma pomada específica ou, até mesmo, apelar para uma cirurgia.

fimoseTipos de fimose masculina

  • Fimose fisiológica:esse é o tipo de fimose mais comum, é quando está presente desde o nascimento;
  • Fimose secundária:já, esse tipo de fimose pode surgir em qualquer fase da vida, geralmente, após um quadro de infecção, ou traumatismo local, por exemplo.

Vale ressaltar que, em muitos casos, a pele é tão apertada que acaba aumentando o risco de infecção urinária, já que, nesses caos, a urina pode ficar retida dentro da pele.

E mais, a fimose também pode causar complicações como dificuldade em fazer a higiene, ficando difícil limpar a região, aumentando, assim, o risco de infecção urinária, dor nas relações sexuais, maior propensão a ter uma DST, HPV ou câncer de pênis, além de aumentar muito o risco de desenvolver uma parafimose, que é quando o prepúcio fica preso e não volta a recobrir a glande.

Mas, afinal, como saber se é fimose?

Na verdade, a única forma de saber se é fimose, é tentando retrair a pele que recobre a glande do pênis manualmente. Caso não seja possível ver completamente a glande, isso quer representa a fimose, que pode ser classificada em 5 graus diferentes.

Embora existam graus diferentes, na hora de se decidir o tratamento ideal, o que se leva mais conta é a idade do menino. E mais, embora a fimose seja verificada, geralmente, quando o menino é recém- nascido, ela faz parte de todas as consultas com o pediatra até os 5 anos.

Vale lembrar que existe também a fimose secundária, que pode surgir na adolescência ou na vida adulta, nesses casos, a própria pessoa podendo observar se existe alguma dificuldade na retração da pele, e se for o caso, é recomendada uma consulta com um urologista.

Principais sintomas

No geral, os sintomas mais comuns da fimose são:

  • Dificuldade ao urinar, com dor ou ardor;
  • Sangramento, especialmente ao forçar a pele
  • Dor durante a ereção;
  • Secreções no pênis, com mau cheiro;
  • Dificuldade em controlar a vontade de urinar durante a noite.

Vale ressaltar que a fimose não impede o crescimento e desenvolvimento normal do pênis, porém, para evitar possíveis complicações, como infecções graves no local, justamente, pela dificuldade em lavar a região, é preciso tratá-la adequadamente por um pediatra ou urologista.

Tratamentos para fimose

tratamentos-para-fimoseSão várias as formas de tratamentos possíveis, e todas devem ser avaliadas e orientadas por um pediatra ou urologista, de acordo com o grau da fimose.

Em casos mais leves, por exemplo, o médico pode receitar pomadas, ou mesmo, alguns exercícios. Porém, para os mais graves, pode ser preciso uma cirurgia.

Vale saber, no entanto, que a fimose infantil tem cura e, na maioria das vezes, nem é preciso apelar para tratamentos específicos, sendo preciso uma avaliação da situação, já que ela pode ser naturalmente solucionada até os 4 ou 5 anos da criança.

No entanto, se após os 5 anos a fimose persistir, ou em caso de fimose secundária, então, será preciso investir em um tratamento específico, os mais comuns são:

1. Pomadas para tratar a fimose

É comum o médico receitar pomadas à base de corticoides, que possuem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antibióticas, com isso, facilitando que a pele deslize sobre a glande.

A pomada, que só deve ser indicada por um médico, deve ser aplicada 2 vezes ao dia, durante 1 mês e, muitas vezes, já é o suficiente para curar a fimose.

2. Exercício de retração para tratar a fimose

Outra solução, que costuma ser muito indicada pelos médicos, no caso, para meninos com mais de 5 anos, é fazer um exercício para retração da pele do prepúcio, mas sem forçar demais para não causar dor.

O exercício consiste em segurar o pênis com uma mão e com a outra aplicar a pomada e puxar a pele para trás lentamente, durante 1 minuto, de 3 a 4 vezes por dia. Mas atenção, esse exercício não deve, de forma alguma, causar dor, nem desconforto, é preciso ir ‘soltando a pele bem devagar’, quando o exercício é feito de forma incorreta além da dor, é possível formar cicatrizes, novas aderências e um anel de fibrose, que é a característica da parafimose. Por isso, é preciso saber, exatamente, fazer o exercício para o problema não acabar se agravando ainda mais.

3. Cirurgia para fimose

Então, caso nenhum desses tratamentos acima resolva o problema, então, é preciso apelar para uma cirurgia chamada de postectomia, que é feita após os 2 anos de idade.

Nessa cirurgia pode se remover, completamente, a camada de pele que recobre a glande do prepúcio ou realizar apenas um ou vários pequenos cortes na pele, que seja suficiente para permitir que a pele impeça a retirada da glande, no entanto, esse tipo de cirurgia não é muito eficiente e tende a promover uma nova aderência do local. Além da retirada dessa pele, o médico pode ainda realizar um corte que liberta o freio curto do pênis.

 No entanto, em situações como dificuldade na coagulação sanguínea, infecção local, ou em caso de anormalidades no pênis, como hipostadia ou pênis embutido, a cirurgia para fimose não é indicada, porque, nestes casos, pode ser preciso aproveitar a pele do prepúcio para reconstrução de outros tecidos da região genital. Só, então, após estas condições estarem controladas, a cirurgia para fimose pode ser realizada.

4. Anel plástico para tratar a fimose

E existe uma outra solução, muito usada, principalmente, porque não requer anestesia. É a colocação de um anel de plástico, também através de uma cirurgia super simples e rápida, que dura cerca de 10 a 30 minutos.

Nessa cirurgia, o anel é introduzido em volta da glande e debaixo do prepúcio, mas sem a apertar a ponta do pênis.

Com o tempo, o anel vai cortando a pele e liberando a sua movimentação, caindo após cerca de 10 dias.

Durante o período do uso do anel, é normal o pênis ficar avermelhado e inchado, mas não chega a atrapalhar para fazer xixi. E mais, este tratamento sequer necessita de curativos, sendo utilizada apenas uma pomada anestésica e lubrificante para facilitar a recuperação.

fimose-femininaFimose feminina

Como já foi dito mais acima, a fimose também pode afetar as meninas, nesse caso, chama-se fimose feminina, e acontece quando ocorre a aderência entre os pequenos lábios da vagina, cobrindo  completamente a abertura vaginal.

O tratamento para fimose feminina é feito com a utilização de uma pomada com estrogênio que, geralmente, resolve o problema definitivamente, sem necessidade de cirurgia.

Possíveis complicações da fimose

Quanto à possíveis complicações da fimose, se não tratada, podemos citar infecções urinárias frequentes, infecções no pênis, aumento das chances de contágio com doenças sexualmente transmissíveis, dor e sangramento durante o contato íntimo e aumento do risco de câncer de pênis.

Como evitar a fimose

Infelizmente, não é possível prevenir o surgimento da fimose em recém-nascidos, mas, ao longo da vida, é fundamental fazer a higiene correta do pênis todos os dias com água e sabão neutro, limpando toda a região sob a pele para que não acumule sujeiras e secreções, virando uma fimose.

Ao perceber algum tipo de problema, o aconselhável é ir ao médico para iniciar o tratamento.

Leave a Reply