Prednisona - Para que serve, quais tratametos e efeitos colaterais

Prednisona- para que serve

4.8 (95%) 16 votes

A prednisona é uma das diversas formas sintéticas do hormônio cortisol, que é produzido pelo organismo pela glândula suprarrenal. É um potente anti-inflamatório, antialérgico e antirreumático, muito utilizado em tratamentos de alergias, doenças dermatológicas, reumatismo, tumores, entre outros.

O Que é Prednisona?

Como já foi dito, é um fármaco corticoide sintético, que tem ação anti-inflamatória, age no crescimento ósseo e no sistema imunológico, auxilia processos de cicatrização, e ajuda a regular os eletrólitos presentes no sangue, sendo muito usado para tratar doenças que possuem origem hormonais, alérgicas, autoimunes, inflamatórias e neoplásica .

Para que serve Prednisona

prednisonaÉ importante ressaltar que por seus muitos efeitos colaterais e contraindicações, como qualquer medicamento, e mais ainda por representar riscos em muitos casos, a prednisona só deve ser usada sob indicação médica e, geralmente, para tratar doenças que respondam aos corticosteroides, que podem ser, dentre outras, as seguintes:

  • Distúrbios do colágeno,
  • Doenças alérgicas,
  • Doenças dermatológicas (de pele),
  • Doenças endócrinas (das glândulas),
  • Doenças hematológicas (do sangue),
  • Doenças osteomusculares (dos músculos e ossos),
  • Doenças oftálmicas (dos olhos),
  • Doenças respiratórias.

Contraindicações

Como já foi dito, por se tratar de um corticoide sintético, o medicamento é contraindicado em muitos casos, como no caso de pessoas com hipersensibilidade – alergia – a prednisona ou qualquer outro componente da fórmula, ou ainda de outros corticosteroides.

Prednisona também não deve ser utilizado por pessoas que sofram com infecções sistêmicas por fungos.

Gestantes, lactantes ou mulheres em período fértil também devem, antes de iniciar o uso do medicamento, avaliar seriamente junto ao médico, o seu uso, pesando os benefícios e os riscos que tanto a mulher como o feto, ou o bebê recém-nascido possam vir a correr. E jamais, principalmente, se você se enquadra em um desses casos, faça uso desse medicamento sem conhecimento do seu médico, pois muitos profissionais condenam seu uso.

Vale saber que estudos comprovam que a prednisona pode ser passada ao bebê através do leite materno, porém, ainda não se sabe os riscos potenciais ao bebê. Por isso, é preciso que lactantes tenham muito cuidado ao administrar o medicamento, só utilizando com indicação e supervisão do seu médico.

Pessoas diagnosticados com tuberculose também não devem se tratar com prednisona, já que há relatos de agravamento da doença, ou seja, é importante que o medicamento só seja usado sob acompanhamento e indicações médicas.

Também devem conversar com o médico, antes de iniciar o tratamento, avaliando os prós e contra, pessoas que sofrem de transtorno de ansiedade ou estresse, já que para esses pacientes a dosagem de prednisona poderá ser maior para não prejudicar os efeitos do medicamento.

Outro fato a saber é que pessoas que estão em tratamento intensivo com prednisona devem evitar, ao máximo, ter contato com pessoas contaminadas com catapora, sarampo ou  varicela, podendo trazer prejuízos para quem usa o medicamento. Por isso, caso tenha entrado em contato com alguém nessas condições, é preciso procurar atendimento o mais rápido possível, principalmente, no caso de crianças.

Como tomar Prednisona

tomar-remedioGeralmente, o tratamento em adultos à base de Prednisona é iniciado com uma dosagem entre 5 mg a 60 mg diárias – que também depende da doença.Certamente, cada dosagem vai variar de acordo com a doença especificada, a gravidade dela e, claro, com a resposta ao próprio medicamento.

O que geralmente é recomendado, é que seja ingerido pela manhã com a ajuda de um pouco de líquido, e também pode ser administrado antes ou após as refeições, sem prejuízo de eficácia.

E atenção, o uso de Prednisona jamais deve ser interrompido abruptamente, da noite para o dia, mas de forma gradativa e, sempre, com o conhecimento e acompanhamento médico, em qualquer caso, mas, principalmente, no caso de pessoas que sofrem de estresse ou transtorno de ansiedade.

Prednisona para crianças

No caso de crianças, o tratamento é feito, geralmente, com uma  dose inicial variando entre 0,14 mg/kg a 2 mg/kg de peso, diariamente. E, claro, dependendo da doença a ser tratada, a dosagem pode ser de 4 mg a 60 mg diárias, calculando-se pelo metro quadrado de superfície corporal.

E é importante saber que, por se tratar de um corticoide, crianças que necessitam realizar um tratamento prolongado com Prednisona podem ter o crescimento afetado, ou mesmo, inibir a produção de corticosteroide. Por isso, é fundamental sempre argumentar sobre seu uso com o médico e, caso seja preciso tomar o corticoide por muito tempo, o tratamento, assim como a criança, devem ser estritamente monitorados por um médico-cirurgião.

Efeitos colaterais de Prednisona

efeitos-colateraisVale saber que a Prednisona é mais potente que o cortisol natural, em cerca de 5 vezes, e ambos podem causar efeitos colaterais graves, podendo, até mesmo, levar a morte. Por isso, todo cuidado é pouco em um tratamento a base de Prednisona, que deve ser sempre muito analisado. Sem dúvida, um tratamento longo com uma dosagem alta desses medicamentos, pode aumentar o risco do surgimento de efeitos colaterais graves.

Como se pode imaginar, os efeitos colaterais da prednisona não são poucos, e são preocupantes, tanto que seu uso é muito polêmico entre alguns profissionais. Por isso, é fundamental, ao se decidir pelo tratamento com prednisona, prestar muita atenção a possíveis reações e efeitos, e qualquer alteração, seja a que for, relatar o mais rapidamente possível ao médico.

As reações mais comuns ao tratamento com prednisona são:

  • Alterações hidroeletrolíticas,
  • Alterações na pele,
  • Alterações nas glândulas,
  • Alterações no estômago e intestino,
  • Alterações no metabolismo,
  • Alterações no sistema nervoso,
  • Alterações nos olhos,
  • Alterações nos ossos e músculos,
  • Alterações psiquiátricas.

Vale ter em mente que os possíveis efeitos colaterais do medicamento estão associados, justamente, aos locais onde o medicamento atua.

Assim, pacientes diabéticos, ao utilizar grandes quantidades de Prednisona, podem sofrer com tontura, aumento da glicose no sangue, maior necessidade de ingestão de insulina, aumento da pressão arterial e dores de cabeça (cefaleia), efeitos colaterais observados, também, em pessoas com glaucoma, hipertensão arterial ou úlcera péptica ativa.

Prednisona engorda?

A resposta é sim. Por se tratar de um corticoide, a Prednisona engorda, conforme a dosagem orientada a ser ingerida, o que deve ser um fator de cautela, principalmente, para os pacientes diabéticos.

Preço da Prednisona

Assim como acontece com qualquer medicamento, o preço da prednisona varia por causa dos diferentes laboratórios e da quantidade de comprimidos.

De uma forma geral, o preço varia entre R$ 11,00 a R$ 16,00.

A Prednisona pode ser encontrada em embalagens com comprimidos de 5 mg ou de 20 mg do laboratório Medley, o mesmo é valido para os fármacos da NeoQuímica.

Uma importante dica é que, em caso de dúvidas, vale consultar a bula oficial publicada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e, claro, levá-las ao seu médico para que ele possa respondê-las e lhe orientar da melhor forma.

Leave a Reply