Remédio para emagrecer

Todo mundo sabe que emagrecer não é nada fácil, por isso, a cada dia, surgem mais dietas, e cada uma mais restritiva ou bizarra que a outra,  impossíveis de serem seguidas por muito tempo, o que resulta na volta dos pesos perdidos, pouco tempo após terminar a dieta.

Em função disso, vem crescendo a procura por cirurgias bariátricas, geralmente, um recurso utilizado após tentativas fracassadas de tratamentos de todos os tipos.

Mas, antes de se submeter à cirurgia, os remédios ainda são vistos como uma opção menos invasiva e, portanto, que oferece menos riscos, o que, vale saber, não é bem assim, já que alguns medicamentos causam muitos danos á saúde, de uma forma geral, muitas vezes, desencadeando sérios problemas.

Por isso, quem opta em resolver problemas de sobrepeso com remédios, deve saber que não é a opção mais saudável e que mesmo os mais potentes não garantem uma perda de peso eficaz.

Geralmente, remédios atuam inibindo o apetite, com isso, a massa muscular sofre perda e o metabolismo fica completamente desregulado, resultando na volta do peso em pouquíssimo tempo, prejudicando a saúde por completo.

E mais, é preciso muita cautela ao se submeter a tratamentos com remédios, pois, muitos são proibidos pela agência de saúde. Por isso, se essa for sua opção, é fundamental que tenha o acompanhamento médico.

É preciso estar ciente de que os remédios para emagrecer costumam causar efeitos sérios e precisam ser tomados com muito cuidado.

Preparamos abaixo uma lista com os remédios mais conhecidos, como eles agem, para quem são indicados e quais seus efeitos colaterais, confira:

remédio-para-emagrecerSibutramina

Um dos remédios para emagrecer mais conhecidos, a Sibutramina é o primeiro da lista, e age sobre alguns neurotransmissores, como serotonina, noradrenalina e dopamina, e dessa forma, consegue reduzir o apetite. Ele tem a venda liberada, porém, só com prescrição médica.

A Sibutramina é muito indicada, principalmente, para aqueles pacientes com IMC maior que 30, quando dieta e exercícios não conseguem  fazer efeito.

Efeitos colaterais

Como já foi dito, esse tipo de medicamento costuma ter efeitos colaterais, e no caso da Sibutramina, é contraindicada para quem tem hipertensão, diabetes ou risco aumentado de doenças cardiovasculares, pois pode apresentar os seguintes efeitos colaterais:

  • Boca seca
  • Constipação
  • Dor de cabeça
  • Insônia.

Vale ressaltar que também são observadas alterações de humor, que, apesar de muito comum, devem ser relatadas ao médico.

Orlislat

Outro medicamento muito usado em tratamentos para emagrecer é Orlislat, porém, ele não atua diretamente na fome, saciedade ou outros mecanismos metabólicos, na verdade, ele age na absorção de gordura, inibindo que 30% dela seja assimilada pelo corpo, sendo eliminada em maior quantidade nas fezes.

Por isso, ele costuma ser mais usado como um complemento de outros tipos de remédios para emagrecer.

Geralmente, orlislat é recomendado para pessoas que ingerem muita gordura e têm dificuldades em cortá-la da alimentação.

Efeitos colaterais 

Ao tomar esse medicamento é preciso se preparar para possíveis diarreias, principalmente, quem costuma ingerir muita gordura, causando um certo desconforto.

Saxenda

Devidamente aprovado pela Anvisa, o Saxenda é um remédio para emagrecer quem tem a liraglutina como princípio ativo, o mesmo do remédio Victoza, usado para tratar o diabetes. Na verdade, após alguns tratamentos, se descobriu que além de melhorar a glicose no sangue, reduz a sensação de fome.

Por isso, ao contrário dos outros medicamentos de uso oral, o saxenda deve ser injetado sob a pele.

Saxenda deve ser utilizado em conjunto com dieta e atividade física, sendo recomendado para adultos com índice de massa corporal acima de 30 kg/m2, ou IMC acima de 27 kg/m2, com alguma condição relacionada ao excesso do peso, como hipertensão, diabetes tipo 2 ou alterações de colesterol.

Foi observado que o medicamento funciona melhor em pessoas com problemas metabólicos, já que ele também preserva o pâncreas.

Uma grande vantagem de utilizar Saxenda para emagrecer é o fato dele não afetar o humor do paciente, como a maioria dos remédios para emagrecer.

Efeitos colaterais 

Vale saber que o uso de Saxenda pode causar o desenvolvimento de pancreatite, cálculos em vesícula biliar e risco de hipoglicemia, este último em pacientes com diabetes tipo 2. Portanto, seu uso deve ser muito criterioso.

Fluoxetina

Já, o remédio fluoxetina é mais indicado para quando o excesso de peso está associado à ansiedade, já que o medicamento age controlando a ansiedade, a fim de reduzir a compulsão alimentar.

No caso, o uso desse medicamento serve mais como um  coadjuvante na perda de peso, sendo mais indicado para pessoas que possuem obesidade associada à depressão, ou então em casos de obesidade relacionados a uma condição médica chamada Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).

Fluoxetina é indicado para pacientes com IMC maior ou igual a 30 e um diagnóstico de depressão ou TAG feito por um psiquiatra.

Efeitos colaterais 

Como possíveis efeitos colaterais da fluoxetina, podemos citar:

  • Cansaço (fadiga)
  • Diarreia
  • Dor de cabeça
  • Insônia
  • Náusea

Vale saber que, de acordo com estudos, após 6 meses de uso, a modesta perda de peso obtida inicialmente com o uso de fluoxetina, aos poucos, vai se perdendo.

Bupropiona

A Bupropiona é um antidepressivo mais indicado para o emagrecimento do que a fluoxetina, já que ajuda a reduzir a compulsão.

Geralmente, seu uso é indicado para aqueles pacientes que apresentam algum quadro psiquiátrico, como depressão ou compulsão alimentar, e só deve ser uma opção, quando a dieta e os exercícios físicos sozinhos não forem eficazes para o emagrecimento.

Efeitos colaterais 

Por causar insônia, boca seca, cefaleia e, até mesmo, poder causar convulsões, taquicardia, hipertensão, urticária e manchas na pele, o tratamento com esse medicamento só deve ser feito com acompanhamento médico.

Anfetaminas (Anfepramona, Femproporex e Mazindol)

anfetaminas medicamentos-que-ajudam-a-perder-pesoAs anfetaminas, como Anfepramona, Femproporex e Mazindol, são uma classe de medicamentos chamados de anorexígenos, pois agem diretamente reduzindo o apetite.

Embora sejam medicamentos proibidos por aqui, já existe uma sanção aguardando aprovação do presidente do Brasil, para que medicamentos derivados dessas substâncias voltem a ser comercializados.

O uso desses medicamentos é muito polêmico, justamente, por inibir,  a fome quase que completamente.

Efeitos colaterais 

Como qualquer remédio para emagrecer, eles só fazem efeito durante o tratamento, ou seja, não melhoram o metabolismo do paciente e nem promove educação alimentar, o que quer dizer que, após o tratamento, os quilos perdidos, retornam, e com força total.

O pior é que, podem trazer sérias alterações comportamentais, como ansiedade, irritabilidade, insônia, tremores e depressão.

Quando usar remédios para emagrecer?

Como já foi dito, remédios costumam fazer efeito só durante o tratamento, não promovendo mudanças de hábitos e nem uma reeducação alimentar, que são as únicas atitudes que, realmente, vão garantir a perda de peso definitiva.

Remédios, portanto, nunca devem ser a primeira opção para o emagrecimento, tanto por não serem uma solução definitiva, quanto por seus inúmeros efeitos colaterais.

O ideal é que o paciente aposte em novos hábitos, mude os que estiverem errados, aposte em uma alimentação equilibrada e pratique atividades físicas, caso não veja resultado, aí, então, a dica é procurar ajuda especializada, que irá apontar o melhor tratamento para perder peso de uma forma saudável.

Remédios e cirurgias, na verdade, devem ser opção para pessoas que, de outras formas, não conseguem chegar ao peso ideal, por exemplo, pessoas com IMC acima de 30, ou pessoas com IMC acima de 27 e doenças metabólicas, aí sim, nesses casos, os efeitos colaterais dos medicamentos não irão superar os benefícios possíveis.

Remédios naturais para emagrecer

Remédios naturais para emagrecerMas, quem prefere apostar em opções naturais, nesse caso, já existem no mercado algumas soluções que fazem muito sucesso entre as pessoas que vivem fazendo dieta. Confira algumas:

Quitosana:  substância extraída do exoesqueleto de insetos ou crustáceos, ela age como uma fibra, promovendo saciedade. Além disso, estudos feitos em animais mostraram que a quitosana pode interferir muito na digestão e absorção de gorduras pelo trato intestinal, facilitando a excreção destas gorduras nas fezes dos animais. Porém, não há estudos que comprovem seus benefícios diretamente no emagrecimento em seres humanos.

Goji berry: atual queridinho de quem vive em briga com a balança,  alguns estudos, realmente, comprovam,  que o goji berry consumido em suco pode ajudar a emagrecer, já que pessoas com baixo consumo de vitamina C podem ser mais resistentes a perder massa gorda. No entanto, ele precisa ser aliado a uma alimentação equilibrada.

Konjac: raiz famosa por suas propriedades emagrecedoras, porém, também não há comprovação científica sobre sua eficácia em seres humanos.

Faseolamina: substância presente no feijão branco cru, reduz a absorção dos carboidratos. Porém, é preciso muita cautela ao consumir esse alimento cru, pois em excesso pode fazer mal à saúde.

Remédios caseiros para emagrecer funcionam?

Remédios caseiros, na verdade, podem ser ótimos aliados das dietas, como um complemento, dentre as opções caseiras, listaremos algumas abaixo:

Chás diuréticos: são ótimos para reduzir a retenção de líquido do corpo, o que ajuda a reduzir poucos quilos na balança. No entanto, chás diuréticos com outras propriedades emagrecedoras, como o chá de hibisco, podem ser interessantes, desde que também sejam aliados a uma dieta mais saudável, e o chá verde, o qual estudos apontam que umas das catequinas presentes nesse chá, a epigalocatequina galato (EGCG), estimula diversas enzimas que controlam o metabolismo das gorduras, incentivando a quebra delas, promovendo o emagrecimento.

Água com berinjela:  não tem estudos que comprovem seu benefício na perda de peso, ou que os nutrientes do vegetal sejam passados para a água. A dica é aproveitar os benefícios da berinjela in natura, consumindo-a refogada ou grelhada.

Água com gengibre: Devido ao afeito termogênico, o gengibre na pode, sim, ajudar no emagrecimento, mas, claro, se aliado a uma dieta balanceada e com menos calorias.

Considerações

Enfim, como já foi dito, emagrecer requer mudança de hábitos e uma alimentação equilibrada, só dessa forma se irá garantir que o peso adquirido após a dieta seja mantido.

Jamais confie ou siga dietas restritivas, elas não promovem perda de peso permanente, já que são impossíveis de serem seguidas por toda a vida, além de colocarem a saúde em risco.

Se está com dificuldade em emagrecer, então, procure um especialista, que vai poder lhe orientar para o melhor tratamento.

Apenas quando essas atitudes não surtirem efeitos é que se deve apelar para soluções mais radicais, como tratamentos à base de remédios ou cirurgias, sempre com acompanhamento médico.

4.7 (93.08%) 26 votes

Leave a Reply